Contato

BRASIL +55 11 98396-2721

©2018 by SophiaRH.

  • Dr. Thiago O. dos Santos

Burnout: O que é e como lidar


Tenho observado que a cada vez mais aumenta a tendência das pessoas desenvolverem a Síndrome de Burnout, no entanto a grande maioria sequer a conhece. Pensando nisto criamos este artigo para que você saiba um pouco mais sobre esse fenômeno.

Basicamente o Burnout surge como conseqüência do estresse profissional, sendo percebido geralmente por exaustão emocional, avaliação negativa de si mesmo, depressão e insensibilidade com relação a quase tudo e todos que tende a ser uma defesa emocional, afinal ao não se sensibilizar a pessoa estaria criando uma parede que tenta afastar a pressão e os problemas do trabalho o que por sua vez tende entre outros fatores ao isolamento e ao acumulo de estresse.


O termo Burnout quer dizer combustão completa. Esta combustão atinge o psiquismo em suas diversas esferas interferindo na vida do sujeito como um todo.

Geralmente desenvolvido como resultado de um período de esforço excessivo no trabalho com intervalos muito pequenos para recuperação. Alguns estudiosos defendem que esta síndrome refere-se exclusivamente à exaustão e ausência de personalização no trabalho, outros percebem-na como um caso especial da depressão clínica mais geral ou apenas uma forma de fadiga extrema (portanto omitindo o componente de despersonalização).


Sabe aquela sensação ruim que sentimos ao ouvir o Jingle do Fantastico e nos lembrarmos que no dia seguinte tudo começará novamente? Apesar disto ser normal, pode ser um bom exemplo para definir o que estamos querendo dizer.


O Burnout tende a melhorar muito com um acompanhamento psicoterapêutico adequado, além disto algumas medidas podem ser tomadas a fim de estabilizar o humor e alterar (na medida do possível) a rotina de trabalho ou mesmo os pensamentos automáticos que surgem em decorrência das atividades desempenhadas.


Pense em técnicas de enfrentamento (também conhecidas como Técnicas de Coping), divida suas atividades prazerosas e não prazerosas e tente equilibra-las em sua rotina para não se desgastar demais, tire férias sempre que possível, esteja sempre fazendo um saldo a respeito de si mesmo e de como interpreta as coisas, pois muitas vezes o problema esta na maneira com que interpretamos a situação.


Ouvi de um colega de trabalho que devemos trabalhar apenas para nos dar o luxo de realizar atividades prazerosas com aquilo que ganhamos, e pensando bem, ele esta certo, só precisamos tomar cuidado para que nosso trabalho não torne nossa vida tão ruim a ponto de precisarmos tanto de coisas supérfluas a ponto de taparmos o sol com a peneira, pois assim mascaramos um problema com outro e o tornamos muito maior. Não é raro vermos pessoas que não gostam do que fazem que se tornam consumistas e acabam por depender daquele emprego mais do que deveriam, ao invés de buscarem algo que as faça mais felizes.


Pensem nisso!


Thiago Oliveira dos Santos

CRP: 06/98214

33 visualizações